sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

To Mr. Yellow!





((Muitas, muitíssimas, inimagináveis coisas aconteceram comigo entre ontem e hoje. Mas depois que cheguei de outra das mais loucas noites da minha vida, o assunto não será eu. Será o meu moleskine.))

Como uma boa novata em blogs e afins, desde que criei o Beleléu parece que virei duas: a Ju que vive e a Ju que pensa em como colocar a vida no papel. E o fato de a segunda Ju às vezes me parecer mais interessante que a primeira me assusta um pouco às vezes. Antes de dormir ando tendo ideias que, se considero boas, me dão uma sensação de adrenalina de me tirar o sono e me dão vontade de escrever imediatamente. Depois me lembro das outras 10 pessoas que talvez estejam dividindo o quarto comigo em um albergue de algum país da Europa central e desisto.

Talvez o medo de me interessar mais pela Ju virtual venha da liberdade, também virtual, que tenho para ser quem eu bem entender no papel (na internet?) - afinal, eu invento minhas próprias palavras, não é? Mas depois me lembro que as palavras, as frases e os (vários) parágrafos que escrevo sobre mim mesma não chegam aos pés da realidade. Um dia quem sabe, quando eu tiver o total domínio das palavras, isso possa se converter. Por enquanto elas me dominam, escapam da minha mente de forma desordenada - talvez por isso eu tenha que escrever tanto. Tempo.

Descrita minha empolgação com o meu projeto novo, nem preciso comentar o meu estado de excitação quando vejo comentários em meus posts. Unzinho que seja é o suficiente para me fazer crer que tem alguém lendo isso aqui e já me deixa ansiosa para descobrir qual vai ser a próxima loucura a ser publicada.

Mas o que rolou na noite de ontem/madrugada de hoje e na tarde/noite de hoje teve que dar lugar a uma resposta (sem pergunta).

Alguém muito petulante, auto-proclamado Mr. White, invadiu o Beléleu ontem. Não tenho nem ideia de como me encontrou ou como entendeu meu português distinto. Pelo jeito irônico de escrever, até chutei que poderia ser a Fê Beck disfarçada de Mr. White, mas em seguida lembrei que a hipótese seria muito pouco provável: ela estava comigo com eu comprei meu moleskine, em Londres.

O tal Mr. White me escreveu o seguinte:

Mr. White disse...

1. HOW did you ever think of NOT telling that story? It’s a very good one, HELLO? Fat female police officers are funny!

2. Oh, my god, I can’t believe you jumped on the Moleskine bandwagon. But on a second thought, that makes sense. Journalists love jumping on bandwagons. Here, two funny posts for you, my love:
http://stuffwhitepeoplelike.com/2008/01/23/19-travelling/
http://stuffwhitepeoplelike.com/2009/02/24/122-moleskine-notebooks/

((gente, espera, como ele sabe que eu sou jornalista????)

3. I have a bottle of Wyborowa here with me, but I’m not a big vodka fan. I’ve got it as a gift. I may share it with you someday!

Vocês devem imaginar a minha situação nessa viagem: sozinha, tendo que pensar em tudo sem ajuda de ninguém (apesar de não pensar muito na maioria das vezes), dependendo de sinais fracos de internet. Então, depois de ler isso, pensei em responder grosseiramente e imediatamente, sem sequer abrir o links enviados. Mas quando eu vi o nome do site, me interessei. Na correria do café da manhã do albergue "Adeus, Lenin", no número 34 da Rua Grodzka, prestes a ir a Auschwitz, eu ignorei os outros hóspedes e li, li um monte, li de novo, ri, pensei em responder, pensei em não responder... Confesso que o fato de eu não ter noção sobre quem era o Mr. White (e a ironia do comentário dele, acabando comigo e meu querido moleskine), me despertaram um sentimento interessante.

Na internet, descubro que o Mr. White tem uma identidade muito mais bem definida (pela wikipedia, inclusive) do que eu pensei (aquela coisa mistério/suspense/menino-de-cabelo-sujo-e-gravatinha-borboleta que rondava o meu imaginário foi meio que por água abaixo...).

Aí vai a ficha completa:

Nome: Christian Lander (ele se esconde por trás de "Mr. White" e não é amarelo, como eu pensei, é mais branquelo do que muito irlandês!)

Nacionalidade: Canadense

Idade: 30

Profissão: Estudou inglês e história, fez um master em filme e um P.h.D. em filme e literatura, título que o faz "soar mais culto do que ele é na real", nas palavras dele. Parece que ele queria ser roteirista de sitcoms engraçados, mas acabou virando copywriter em uma agência x, o que, peloamor, deve ter deixado de lado depois que o blog virou sensação, com atualizadíssimas 63,224,650 visitas até agora (desde janeiro de 2008)
e hoje é escritor profissional (ver próximo campo).

Livros (tá, só tem esse campo porque ele tem um livro! haha): "Stuff White People Like" que, Mr. Yellow, eu acredito sinceramente ser uma possível base para uma ótima comédia. Não falei que tudo dava certo no final??

Pretensões para o futuro (ué, se ele quer tomar uma vodka comigo, tem que deixar claro as intenções, não é para isso que um date serve, Pablo???): não desistiu da ideia do roteiro engraçado. Eu já disse: apesar de não ter lido o livro, aposto que ele tem material suficiente para uma das mais engraçadas séries que a TV já viu, vide a minha reação sobre o post do moleskine.

Agora, com meus leitores pacientes já atualizados, responde-lo-ei:

Dear Mr. Yellow,

Who the hell you think you are to join a pacific open comunity, officially called "No Beleléu" (At the Beleléu!), and talk mean things about me and my brand new notebook?

Sorry, I had to begin in this rude tone, just to pretend I am respectful, which I kind of am, actually!

And I have to say that I totally agree with you about the moleskine stuff, though I still think you and you "cult" glasses may never wander around without one of those as well - which I believe, as you are a cool well-known person (somewhere) and I'm not, you have for longer than I do. That's why I want to make clear the way things turned like this:

The very first time I've ever heard about what wikipedia calls a "prominent creative tool for avant-garde artists from the 19th and 20th century, such as Oscar Wilde, Vincent Van Gogh, Pablo Picasso, Ernest Hemingway and Henri Matisse", was in a pub called Sin E (meaning That's it in gaelic), in Dublin. The guy I was in love with was going away for six months and he was showing me what he had bought for his trip so far. The notebook, that I found pretty shit, appeared to be very important to him. And as he realized I had never seem or heard about a Moleskine before, he went: "Don't you know? Blá blá blá... (same wikipedia content). I said: aha, ok. We skip the subject. The following day, walking ramdomly around a Book Shop, I saw it. "God, that's it", was my silent reaction. I also remember I found it very expensive. "Maybe he thinks he'll turn to be one of them, who knows..."

Other six months passed, he is back to Dublin with no skills upgrades of any kind, I'm sure, but with a very nice writing - in a blog rather than in his moleskine, though.

He went on living his life back in Ireland and I did the same (not really back anywhere yet, but I'm trying to, really).

In London, where I spent New Year's, I realized I had NOWHERE to write ordinary information (hostels addresses, flights times, etc) and I entered this shop. I was already holding a one pound notebook when I saw the Moleskine 40th Anniversary Edition (celebrating Woodstock), red cover and a small white bird on the top of a guitar. Instead of the 20 irish euro, it was on sale for only 9,99 pounds. I just couldn't resist. Not for the moleskine, but for its bird. Now I love my red notebook with its white bird and I have to admitt I'm also a white (whiter than ever in this terrible winter, actually) person who likes to write uninteresting things and to draw silly stuff in a moleskine.

I bet that's the way Picasso once started.

Keep the Wyborowa carefully.

Sem mais.

((Foto 1: Breaking News: Identidade de Mr. White desvendada))

((Foto 2: O roteiro está pronto, Mr. Yellow!))

((Foto 3: Escrevo o que bem entender, me deixa em paz))

((Foto 4: Moleskine 40th Anniversary Edition. £9,99. Eu acho worth it))

3 comentários:

  1. Juliana, tem alguém lendo isso aqui.

    Nunca ouvi falar do objeto objeto do seu post. Espero que não esteja me fazendo falta.

    E enquanto você estiver na sua neve e eu em Ubatuba, pensemos no Haiti, rezemos pelo Haiti...

    ResponderExcluir
  2. Pablo Diego José Francisco de Paula Juan Nepomuceno Cipriano de la Santísima Trinidad Ruiz Picasso15 de janeiro de 2010 22:07

    Yo no pinto lo que veo, pinto lo que pienso.

    ResponderExcluir
  3. Juuuuu eu leio sempre mas nunca comentei :)
    Ahh e tenho dois Moleskine! Os dois eu ganhei!
    beijo
    Rê da PUC

    ResponderExcluir